Eleanor & Park

Edição: 1
Editora: Novo Século
ISBN: 9788542801255
Ano: 2014
Páginas: 328
Tradutor: Caio Pereira

 

Eleanor & Park é engraçado, triste, sarcástico, sincero e, acima de tudo, geek. Os personagens que dão título ao livro são dois jovens vizinhos de dezesseis anos. Park, descendente de coreanos e apaixonado por música e quadrinhos, não chega exatamente a ser popular, mas consegue não ser incomodado pelos colegas de escola. Eleanor, ruiva, sempre vestida com roupas estranhas e “grande” (ela pensa em si própria como gorda), é a filha mais velha de uma problemática família. Os dois se encontram no ônibus escolar todos os dias. Apesar de uma certa relutância no início, começam a conversar, enquanto dividem os quadrinhos de X-Men e Watchmen. E nem a tiração de sarro dos amigos e a desaprovação da família impede que Eleanor e Park se apaixonem, ao som de The Cure e Smiths. Esta é uma história sobre o primeiro amor, sobre como ele é invariavelmente intenso e quase sempre fadado a quebrar corações. Um amor que faz você se sentir desesperado e esperançoso ao mesmo tempo.

proibido
 

Introdução

Eu me esforcei, me esforcei muito para tentar escrever uma resenha a altura desse livro. Mas perdoem-me, isso a cada nova palavra fica difícil de acontecer.

Em Eleanor & Park, encontramos uma história de um casal improvável, mas que arrancará suspiros dos mais exigentes. Sim, Rainbow Rowell tem esse poder.

Diferente de tudo o que já leu até agora. Cheio de personagens perfeitos e lindos. Encontrará uns diálogos de cair o queixo. Eu torço muito para que aja uma adaptação cinematográfica, pois o livro permite perfeitamente uma boa história.

Narrativa

A narrativa de Rainbow é cativante, desde o começo somos literalmente encantados por esses personagens. O mais bacana da trama está em conhecê-los pouco a pouco. As imperfeições e a química exalam um perfume perfeito. Uma história que se passa em maioria em um ônibus escolar, encontramos conversas sem palavras, diálogos divertidos e pensamentos profundos que um nutre pelo outro.

Aos poucos, vamos descobrindo que os nossos protagonistas (Park e Eleanor) são opostos. De um lado temos uma família digna de perfeição, embora o pai de Park não aceite muito bem as escolhas que o garoto leva. Eleanor tem uma família muito difícil, principalmente sua relação com o seu padrasto, aos poucos se adquire ódio dele.

Quem disse que romance adolescente tem que ser bobo? Nesse livro é a prova física de que é possível sim, ter um bom diálogo, bons argumentos, boas premissas e personagens que demonstrem isso da forma mais pura.

Diagramação

A diagramação do livro é uma graça a parte. Mantiveram a capa americana.

Considerações Finais

Sabe aquele livro que você não consegue parar de ler? Se tem alguma coisa pra fazer deixa de lado para terminá-lo? Quando tem que interromper a leitura por algum motivo, te causa depressão/tristeza? Pois então, leitores. Esse livro me deixou com depressão pós livro. Sinto que não conseguirei ler outro tão diferente quanto esse. Tanto Eleanor, quanto Park, cativam de um modo tão profundo, que se tornam personagens referência. Não duvido que daqui pra frente, surjam mais casais improváveis nas histórias. É uma boa dica para aqueles autores que sempre fazem histórias de casas perfeitos e estereotipados. É possível sim, ter personagens diferentes e encantadores.

Ansiosíssima para ler Fangirl, outro livro da mesma autora que tem deixado muitos leitores contentes.