Introdução

Confesso que fazia um bom tempo que não lia um livro do Machado de Assis. Como meta deste ano, estou adepta a ler mais livros de autores clássicos. A Editora Fora do Ar, produziu esta versão que li de Esaú e Jacó, confesso que fiquei apaixonada pela obra como um todo. 

Em Esaú e Jacó, os irmãos gêmeos Pedro e Paulo, são destinados a serem grandes e viver em conflitos, mesmo antes de nascerem. Ambos são fisicamente iguais. Porém, as personalidades são opostas. Paulo é um republicano que está cursando Direito e Pedro é um monarquista que cursa medicina. O destino prega uma peça e ambos passam a nutrir um amor pela mesma mulher, Flora. Flora é filha de um político, Batista. Será que esse amor pode afastar os gêmeos e tornar a vida de sua mãe, Natividade ainda mais complicada?

Esta obra é a penúltima escrita por Machado de Assis, não me lembro de ler lido antes na época de vestibular, mas confesso que me encantei e acredito que li no momento certo. 

Narrativa

Narrado em terceira pessoa (Conselheiro Aires, conhecido como o alter ego do autor), Machado de Assis ao longo de sua obra insere questões de cunho social e político e ao mesmo tempo mostra o conflito entre a religião e a ciência, é um livro que também aborda a fé. O foco está em Pedro e Paulo. Entretanto, outros personagens se destacam em vários momentos da narrativa. A mãe, Natividade, se preocupa bastante com os conflitos travados pelos seus filhos. Flora, é uma personagem ingênua em alguns momentos e firme em outros, mas ao longo da trama entendemos muito bem o que cada um deles sente por ela. Não existem personagens rasos na trama, até os mais fúteis tem sua importância. Meu personagem favorito sem dúvida, foi o Conselheiro Aires, sábio, viajado e pé no chão, ele e Natividade se unem na campanha de paz entre os gêmeos.

Projeto gráfico

Eu me apaixonei pelo projeto gráfico. Li a versão artesanal, com capa dura, lombada exposta e luva. A diagramação no geral é bem agradável, a escolha da fonte e as margens são bem confortáveis.

Considerações finais

Esaú e Jacó, embora não seja uma leitura atual, promove questões que podem ser colocadas na atualidade. Quando duas pessoas de opiniões diferentes acabam lidando com alguma questão em comum e divergem e lutam pelos seus ideais e sonhos. Vivemos um momento político semelhante, o que torna a leitura ainda mais agradável.