Marta – Breno Melo

Marta

Edição: 1
Editora: Schoba
ISBN: 9788580130140
Ano: 2010
Páginas: 215

Marta é bipolar, adolescente e tenta viver uma história de amor. Um velho psiquiatra, disposto a produzir Literatura leiga e fugir das teses para o meio acadêmico, narra os fatos mais significativos da vida de Marta, abrangendo toda a sua primeira adolescência, até que possa caracterizá-la como bipolar tipo I. O mais original é que ele mostra Marta às voltas com a vida que todos levamos — tentando viver sua própria história de amor — e não apenas com o transtorno em si ou tratando dele.

proibido

Introdução

Esse é o primeiro livro que leio de booktour, não tive grande dificuldade de leitura, o recebi semana passada e 2 dias bastaram para que eu conhecesse a história que o livro propõe. Os leitores que são mais próximos de mim sabem que estou escrevendo uma história sobre uma garota bem especial que possuí a síndrome do pânico e o livro me ajudou muito a enriquecer ainda mais meus pensamentos. Embora não seja essa a temática que o livro aborde. As vezes a inspiração vem de coisas que nem imaginamos ser possível. Marta é um livro interessante, envolvente e principalmente muito bem montado. Dividido em 5 partes e 15 capítulos trás uma história bonita e fria, pois grande parte da trama o ambiente é frio com neve. Cada momento é uma descoberta nova.

Narrativa

A narrativa de Breno não é nada cansativa, ela atrai o leitor e o deixa mais íntimo com a mesma com suas inserções durante a trama, Marta é um personagem que você compreende desde o começo. Alguém que desenvolve um carinho muito específico. O livro me inquietou pois a cada capítulo começava de um jeito e eu ia imaginando o que aconteceria em seguida e muitos deles não acertei. Foram me surpreendendo e ativando minha curiosidade. O que contribuiu bastante para continuá-lo sem grandes pausas.

Momento Macchiato

“E Marta os tocou por lembrar-se desse beijo tão antigo. Rosana tomou mais um gole de café.

Enquanto isso, lá fora, caía a primeira neve do inverno em Córdova, como não costumava acontecer.

Era um belo dia ainda que incomum e melancólico.” – pág 155

Considerações Finais

O livro vale a leitura, Marta é um personagem do qual não me restou dúvidas, mesmo com seus problemas ela é carismática. Convence e o cenário em que a trama ocorre me encanta muito. O livro me fez voltar a Córdoba, fiquei um tempo na cidade estudando e cara minutinho que a citava a vontade era de voltar, é a segunda cidade mais populosa da Argentina – pra quem não sabe – moro numa cidade muito mais populosa, mas lá as coisas não eram muito diferentes daqui, por isso me adaptei bem.

Indicado para

quem gosta do diferente, do bem escrito e que goste de interrupções do autor durante a narrativa – eu sinceramente não me importo – mas sei que muitos não o gostam. As intervenções de Breno são sadias e em muitos momentos pertinentes.