Por Um Toque de Ouro

ISBN-13: 9788568263082
ISBN-10: 8568263089
Ano: 2015 / Páginas: 272
Idioma: português
Editora: Rocco
 
line

Depois do bem-sucedido O Reino das vozes que não se calam – criado em parceria com a atriz Sophia Abrahão e desde o lançamento na lista dos mais vendidos de ficção nacional da Nielsen – a escritora Carolina Munhóz apresenta Por um toque de ouro, que abre a Trindade Leprechaun, sua primeira trilogia, inspirada nas lendas irlandesas. Ambientado na Dublin contemporânea e protagonizado por uma jovem ligada ao mundo fashion que descobre ser herdeira de uma rara linhagem de seres mágicos considerados guardiões de potes de ouro, Por um toque de ouro é um romance de fantasia urbano e contemporâneo.

Introdução

Em Por um toque de ouro, Emily O’Connell é uma jovem muito rica. Os pais são donos de uma marca de alta costuma. Ela é uma usuária assídua das redes sociais e possui muitos seguidores. Bonita, rica e cobiçada. É o tipo de garota que a maioria das moças gostariam de ser. Mas tem um porém. Ela é vítima de uma tentativa de estupro em pleno St. Patrick’s Day, por sorte (se já não bastasse a que ela já tinha). Um dia conhece Aaron Locky, um jovem que parece não dar muita atenção e é óbvio que isso irá interessá-la. O que ela não sabe, é que ele é uma das pessoas que irá ajudá-la a desvendar o seu passado e aos poucos irá descobrir sobre seus antepassados e o motivo de ter tanta sorte.

Confesso que o fato de Carol abordar a cultura irlandesa no livro foi um atrativo e tanto. Eu sou apaixonada pela Irlanda e notei o quanto ela influenciou e conquistou a autora.

Sobre Carolina Munhóz

Foto -Carolina Munhóz

Carolina Munhóz é jornalista, romancista e fanática por reality shows desde a adolescência, onde participou do Ídolos. Em um momento de depressão, sonhou com uma fada e escreveu um livro pelo qual recebeu o Prêmio Jovem Brasileiro.
Autora dos livros A fada e O inverno das fadas, hoje é escritora em tempo integral, membro do Rapaduracast e viciada em redes sociais. Tem horror a lagartixas, mas acha elfos domésticos bonitos, sabe-se lá o motivo. Além disso em 2013 lançou o livro Feérica pela editora Fantasy – Casa da Palavra. Já em 2014 foi para a editora Rocco e confirmou que vai lançar um livro com a atriz e cantora Sophia Abrahão. Por fim lançou um conto digital e gratuito chamado Fui uma boa menina? pela editora Rocco.

Site oficialfacebooktwitter

Narrativa

Uma narrativa em terceira pessoa, solta, leve e vira um completo passeio.

Carol usa contextos históricos, faz menção a famílias reais e ambienta a trama em Dublin, quem já foi a cidade algum dia, com certeza irá se lembrar de muitas paisagens que permeiam o livro. Quem ainda não foi, recomendo totalmente, se eu pudesse moraria lá (quem sabe no futuro?).

Emile não foi minha personagem favorita, confesso. Mas o seu desenlaçe foi bastante plausível e agradável de se ver. Quando era uma menina fútil e ingênua, é difícil dar credibilidade. O personagem favorito, lógico: Aaron. Darren também é um fofo. Aquele tipo de amigo que está na friendzone e que faz o que pode para estar perto quando Emile precisar.

Por se tratar de uma trilogia, é claro que não se tem todas as respostas. Emile está conhecendo esse mundo novo dos Leprechaun e junto com ela vamos aos poucos descobrindo a cada página um pouco mais.

O que geralmente me irrita, são os personagens muito estereotipados, acredito que uma boa história se consegue através de personagens pouco prováveis. É possível determinar vários personagens que se assemelham, são “clássicos” do young adult. Acredito que os diálogos são outra parte importante e em alguns momentos, os senti muito rasos. Mas nada que comprometesse o desenvolvimento da leitura, foi tudo muito conciso e objetivo. Nesse livro, Carolina me ganhou pelo ambiente em que a trama ocorre. A descrição foi bem precisa e até divertida.

Diagramação / capa

Adorei a capa do livro. Os livros da Carol Munhóz conversam entre si. Há uma harmonia muito clara entre eles. A imagem reflete muito da narrativa, além de belíssima. O livro está bem revisado, não encontrei erros que comprometam a leitura como um todo.

Considerações Finais

Por um toque de ouro, é o segundo livro que leio da autora. Posso dizer que há uma evolução muito grande entre A Fada e este livro. Carolina aos poucos vai amadurecendo e tenho certeza, que a cada livro, irá melhorar ainda mais. Mal vejo a hora de ler o próximo. Afinal, sou muito curiosa.