Quem poderia ser a uma hora dessas?

Edição: 1
Editora: Seguinte
ISBN: 9788565765046
Ano: 2012
Páginas: 240
Tradutor: André Czarnobai

Em uma cidade decadente, onde se criam polvos para a produção de tinta, onde há uma floresta de algas marinhas e onde um dia funcionou uma redação de jornal em um farol, um jovem Lemony Snicket começa o seu aprendizado em uma organização misteriosa. Ele vai atender seu primeiro cliente e tentar solucionar o seu primeiro crime, aos comandos de uma tutora que chama carro de “esportivo” e assina bilhetes secretos. Lá, ele vai cair na árvore errada, vai entrar no portão errado, destruir a biblioteca errada, e encontrar as respostas erradas para as perguntas erradas – que nunca deveriam ter passado pela cabeça dele. Ele escreveu um relato sobre tudo o que se passou, que não deveria ser publicado, em quatro volumes que não deveriam ser lidos. Este é o primeiro deles.

proibido

Narrativa

Uma narrativa mesmo que sem pé nem cabeça prende o leitor de uma forma engraçada e encantadora. O autor é bastante cuidadoso com as palavras e notei que na edição brasileira isso é bem evidente.

A narrativa de Quem Poderia Ser a Uma Hora dessas é totalmente diferente do convencional.

O livro narra a história de um garoto de treze anos, chamado Lemony Snicket que é um aprendiz de uma sociedade misteriosa e é levado pela pior tutora, S. Teodora Markson à Manchado-Pelo-Mar. Há um mistério sobre a cidade que era perto do mar, mas não é mais. Um objeto (estátua Fera Ressonante) é roubado que não foi roubado. Parece bastante confuso comentar sobre o livro, porém, só entrando de cabeça na narrativa para poder compreender e entender os motivos e as perguntas feitas nas horas erradas de Lemony. É uma leitura bastante fluída e ágil. O tom cômico é assumido desde a sinopse.

Há vários personagens totalmente diferentes, meio maluquinhos que vão compondo uma teia de personagens marcantes.

As ilustrações, não poderia não deixar de falar delas. Elas incrementam a narrativa de forma muito positiva, pois dão sinais dos ambientes o qual o personagem é inserido.

A diagramação e a capa são um diferencial. A capa é de uma textura muito gostosa de tocar, meio emborracha. Seth também caprichou em todas as ilustrações. Ele e (Lemony/Daniel) fizeram um ótimo trabalho juntos, há uma harmonia bem clara entre os artistas.

Quote Favorito

“- Estamos andando sobre conchas – disse minha tutora. – Esta última parte da estrada é toda de conchas e pedras.

– Quem faria uma estrada assim?

– Pergunta errada, Snicket – ela respondeu. – Ninguém fez nada, isso não é exatamente uma estrada. Todo esse vale ficava embaixo da água.  Ele foi drenado há alguns anos. Entende agora por que seria impossível pegarmos o trem?” – 30

Considerações Finais

O livro é o primeiro de quatro livros.

O livro mais gera perguntas do que respostas. É o tipo de livro que deixa o leitor preparado para o seguinte. Cheio de passagens divertidas, misteriosas e muitas confusões.  Onde há tanta maluquice, pode se tirar uma ótima trama. Lemony deixou claro que tudo isso é possível. Não há a obrigatoriedade de ter lido a série Desventuras. Eu por exemplo, não li. Tenho vontade? Com certeza.