Edição: 1
Editora: Rocco
ISBN: 9788532528704
Ano: 2013
Páginas: 368
Tradutor: Ana Deiró

Apelidadas de “Supremes” pelos colegas de colégio durante os tumultuados anos 1960, Clarice, Bárbara e Odette seguiram vidas diferentes ao longo de quatro décadas, mas nunca abandonaram o hábito de se reunir todos os domingos no restaurante Coma-de-Tudo. Em meio a pratos deliciosos, risadas, fofocas e, eventualmente, lágrimas, Três amigas, todos os domingos acompanha as alegrias e dissabores do trio com sensibilidade. Com uma performance surpreendente para um romance de estreia, o livro alcançou o ranking do The New York Times e foi escolhido o livro do mês pela Amazon por sete meses consecutivos.

proibido

Introdução

O romance de estreia do autor Edward Kelsey Moore que havia feito algumas publicações de contos em revistas literárias. O livro é uma descoberta. Além de muito criativo, é muito bem organizado e com persoangens intensos. Ou seja, é difícil não se encantar com o que o autor propõem. É uma das leituras de janeiro que mais gostei. Na realidade, é o meu favorito.

Narrativa

A narrativa é uma mescla de primeira e terceira pessoa. Alguns capítulos temos uma narração em terceira pessoa sobre a vida de Clarice e Barbara Jean, mesclada com uma narrativa em primeira onde Odette narra brilhantemente tudo o que se passa ou passou na vida.

A trama conta a história de 3 amigas que tem um grupo que é chamado de Supremes. Essas amigas são Odette (minha personagem favorita na história. Ela é a líder das Supremes, é muito guerreira e motiva as outras a resolverem seus problemas. Ela está num momento bem delicado da vida e mesmo assim segue em frente com uma força de uma jovem, embora já tenha uma idade avançada), Clarice (traída incansávelmente pelo marido Richmont)  e Barbara Jean (teve muitas perdas na vida e ainda não sabe como lidar com isso). Como o próprio título diz, elas se encontram todos os domingos no Comda-de-Tudo.

É engraçado comentar, mas senti muito que os personagens não tem a idade no qual são apresentados. O livro meio que prova aquela velha frase que idade é irrelevante, pois pode ser ter grandes histórias com personagens com idades mais avançadas. Eu estou acostumada a ler histórias de personagens mais jovens, sinto falta de ver histórias com personagens mais maduros entre os bestsellers.

São várias situações narradas no livro, várias problemáticas e premissas (não entrarei em questão para não comprometer a leitura de vocês). Mas no final, o que temos em Três amigas, Todos os Domingos é o quanto a amizade é importante na vida das pessoas. O quanto é importante ter com quem dividir problemas, contar alegrias e resolver o que há de pendente. Juntos tudo fica mais forte, mais importante e mais envolvente.

Diagramação

A diagramação do livro é impecável, não achei erros de digitação ou gramática. A capa condiz com a trama. A fonte dá a leitura um clima agradável. Ou seja, nada para apontar de algo que pudesse atrapalhá-la.

Tags que descrevem o livro

#divertido #personagensincríveis #sicômoro #tragicomedia #tabus #infidelidade #casamentos #amizade #religião

Considerações Finais

Três amigas, Todos os Domingos é um livro surpreendente. Eu confesso que quando gosto muito de um livro, tenho uma certa dificuldade em discorrer sobre ele. Pois difícilmente acho falhas, o encantamento é tanto que a história embora seja simples, faz com que aqueles personagens vivam. É tudo tão cotidiano que a sensação é de que existe Odette, Barbara Jean e Clarice. Eu espero que esse seja o grande início de uma bela carreira para o autor, pois gostaria de ler histórias tão interessantes como essa.