Jogada Mortal – Harlan Coben 

Jogada Mortal

Edição: 1
Editora: Arqueiro
ISBN: 9788580410464
Ano: 2012
Páginas: 256
Tradutor: Fabiano Morais

Depois de ver sua carreira no basquete profissional chegar ao fim antes mesmo de começar, Myron Bolitar trabalhou para o FBI, formou-se em direito em Harvard e hoje está à frente de uma agência de representações esportivas, que toca com a ajuda da grande amiga Esperanza.

Tudo parece ir bem até que Valerie Simpson, uma tenista que já foi a maior promessa do esporte, é morta durante um jogo do Aberto dos Estados Unidos. Ao que tudo indica, a jovem estava lá em busca de Myron, mas foi encontrada antes pelo assassino.
Myron não imagina por que Valerie foi atrás dele, mas se sente culpado por não tê-la encontrado a tempo. Para piorar, seu cliente mais importante, o tenista Duane Richwood, se torna o principal suspeito do crime.
Em busca da verdade, Myron descobre que a jovem vinha sendo assediada por um fã obcecado desde o início da carreira. Além disso, seis anos antes, ela estava prestes a ficar noiva do filho de um senador quando o rapaz foi morto sob estranhas circunstâncias.
Enquanto tenta desvendar o assassinato da tenista, Myron se tornará um obstáculo para os interesses da máfia, de um político poderoso e de uma família influente. Agora ele e as pessoas que mais ama podem ser as próximas vítimas.
proibido

Introdução

      Não tem como eu fazer uma resenha negativa desse escritor. Pois ele achou a fórmula de me agradar desde o primeiro da série do Myron. É incrível como a presença do mesmo é muito marcante e crucial para que as coisas caminhem. Myron é meu personagem favorito atualmente. Pois mesmo com os erros e defeitos, ele não desiste. Quem ainda não teve oportunidade de conhecê-lo, por favor.  Nunca é tarde pra conhecer alguém como ele.

Narrativa

       A narrativa de Harlan é muito característica e metódica. Começa com a premissa do jogo de tênis e uma das tenistas mais famosas é assassinada enquanto rolava um jogo. Myron está conectado nesse enlace – ela havia ligado 2 vezes para ele antes do ocorrido – e vai buscar as respostas para que saiba quem realmente matou a jovem e o motivo de tê-lo feito. Com os diálogos divertidíssimos de Myron, com cenas de ação e muitas pancadas. O livro é uma mistura de gêneros que faz com que o fluxo de páginas viradas se automatizem. A amizade de Myron e Win também é um ponto a ser destacado. Conheci um novo Win durante a leitura, ainda não sei se gosto. O romance tórrido de Myron e Jess tem continuidade nesse livro. Acho que o casal mais engraçado e maluco que tenho por conhecimento. Harlan tem uma ótima escrita, há um detalhamento de ações e sentimentos durante a trama o que não deixa a desejar para o leitor em nenhum momento. A narrativa cíclica fecha bem o livro e não deixa dúvidas sobre sua elucidação do caso. São por esses motivos que a narrativa me convence, me diverte e faz com que eu fique cada dia mais propensa a ler os próximos livros.

Momento Macchiato

” – O mesmo velho Myron de sempre, hein? Você nunca muda. Estou surpreso que ninguém tenha apagado você até agora.

– Não sou fácil de matar.

– Talvez não.

– E também sou um ótimo dançarino. Ninguém quer matar um ótimo dançarino. Restam poucos de nós hoje em dia.” – pág 131

Considerações Finais

  Harlan é Harlan, como todo fã já diz. Não há desapontamentos. Só há surpresas. Primeiramente por conseguir fazer com que Myron não se torne cansativo. E não menos importante, nem que os crimes a serem desvendados sejam descobertos no primeiro capítulo. Não há previsão. Há uma mera desconfiança, mas que no fim prova o quão ingênuo se foi.