O Cavaleiro de Bronze: O Portão Dourado

Edição: 1
Editora: Novo Século 
ISBN: 9788542802351
Ano: 2014
Páginas: 432
Tradutor: Valter Lellis Siqueira

proibido

Introdução

Em O Cavaleiro de Bronze – O portão dourado da autora Paullina Simons, Alexander consegue tirar Tatiana e Dasha do maior perigo, porém com falta de informações das garotas, vai em busca delas para saber se estão bem e se chegaram ao destino em segurança.

No primeiro livro, Alexander e Tatiana se conheceram ao acaso, se apaixonaram em meio a guerra e ao sofrimento. Um romance com uma dose de acontecimentos históricos e proibição.

Sobre Paullina Simons

Paullina Simons nasceu em 1963 em Leninegrado, na antiga União Soviética, e emigrou para os Estados Unidos aos dez anos. Durante a sua infância sonhava em ser escritora. Após concluir o seu curso universitário em Ciência Política, trabalhou como jornalista financeira e tradutora, até concretizar o seu sonho de menina. O seu primeiro romance foi publicado e tornou-se imediatamente num sucesso internacional. Vive atualmente em Nova Iorque com o marido e os quatro filhos.

Narrativa

É difícil escolher qual livro me encantou mais. Provavelmente o segundo volume, onde os personagens são mais explorados e novos dados ganham destaque. A escrita de Paullina é mágica. Eu digo isso, pois não estou acostumada a ler livros históricos principalmente voltados a guerras, não é o tipo de assunto que mais me fascina e são pouquíssimos que leio. A escrita de Paullina me viciou de tal forma, que através dos livros dela, fui dando oportunidade a outros assim como acontece com os livros do John Boyne e do Khaled Hosseini. Tatiana e Alexander são adoráveis, tem seus pontos fracos mas as suas qualidades se opõem muito positivamente durante a leitura. Embora a leitura não seja fácil, os livros são volumosos e contém muitas informações que requerem a devida atenção (para que não se perca em meio aos acontecimentos que não param um segundo) são livros fascinantes.

Diagramação

O trabalho da Novo Século está excelente. A harmonia com o primeiro volume é grande. Ou seja, os mais exigentes, não vão torcer o nariz. Não encontrei erros que atrapalhem a leitura (existem alguns, mas nada que fuja ou comprometa a trama).

Considerações Finais

A segunda parte foi estarrecedora, fiquei mais envolvida e curiosa para saber o que acontecerá. O livro é igual uma novela mas sem toda aquela previsibilidade, há muitos acontecimentos e desfechos inesperados. Paullina realmente nasceu para tal. Isso, ninguém pode negar. É uma constatação. Em meio há tantos conflitos e mortes, um amor tão puro e até um pouco inocente ganha seu merecido espaço. Quantas Tatiana’s passaram pelo mesmo? É envolvente e totalmente recomendado. É um livro que agrega muitos aspectos, não apenas como entretenimento, mas como lição de vida.